A autorização para suspender a vacinação contra febre aftosa, será após a realização da segunda etapa da campanha, que ocorrerá em novembro de 2022 - Foto: Adapec/Governo do Tocantins

O Tocantins está, há 25 anos, livre da febre aftosa com vacinação. E, no último dia 30 de abril, foi anunciado pelo ministro da Agricultura, Marcos Montes; e pelo secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), José Guilherme Leal, que o Tocantins passará a ter a autorização para suspender a vacinação contra a febre aftosa, após a realização da segunda etapa da campanha, que ocorrerá em novembro de 2022.

O governador Wanderlei Barbosa exaltou o trabalho executado pelos servidores da Adapec.

“Eu quero dizer que o trabalho da Adapec é sério, que os nossos fiscais, administrativos e todos os servidores são fundamentais. São vocês que movimentam a nossa economia que vai passar a crescer ainda mais, porque estaremos livres da vacinação e o nosso gado está saudável”, destacou.

Imagem: Ilustrativa/Freepik

Adapec

 “Estou muito feliz com a notícia de que estamos entre os estados que farão a última vacinação contra a febre aftosa em novembro”, frisou o presidente da Adapec, Paulo Lima.

O empenho dos produtores tocantinenses também foi lembrado pelo presidente.

“Não tem como esquecer a responsabilidade do nosso produtor. Ele é consciente da sua responsabilidade e vem fazendo um bom trabalho durante esses anos todos. Tudo isso é resultado de anos de luta, não é só de agora, outras pessoas também lutaram para chegar onde nós chegamos”, comemorou.

Governador Wanderlei Barbosa celebra a retirada da vacina contra a febre aftosa com os servidores da Adapec – Foto: Washington Luiz/Governo do Tocantins

Novos mercados

Com essa nova posição, o Tocantins estará apto a integrar o seleto grupo de estados brasileiros que possuem a certificação internacional da zona livre de febre aftosa.

Certificação essa que irá expandir as negociações no setor, ampliando o leque de mercados disponíveis internacionalmente.

Para o presidente executivo do Sindicato das Indústrias de Carnes Bovinas, Suínas, Aves, Peixes e Derivados (Sindicarnes), Gilson Ney Bueno Cabral, a retirada da vacina coloca o Estado em um grupo de elite, mas reforça que é necessário manter as ações de fiscalização.

“Hoje, o Tocantins está inserido em um grupo de elite do Brasil. Apenas o Sul e o Sudeste eram livres de aftosa sem vacinação e, agora, está chegando ao Centro-Oeste e ao Norte. Existe uma campanha muito grande do Governo Federal, por meio do Ministério da Agricultura, que tem colocado todos os esforços para a retirada da vacina, porque isso é credibilidade no mercado internacional e o Tocantins está inserido”.

Atualmente, no Brasil, somente os estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia e partes do Amazonas e do Mato Grosso têm a certificação internacional de zona livre de febre aftosa sem vacinação.

Com informações do Governo do Tocantins

DEIXE O SEU COMENTÁRIO