Espetáculo teatral sobre bullying para conscientizar estudantes de escolas públicas do Norte e Centro-Oeste

Entretenimento, reflexão, conscientização e muita diversão! Estes são os parâmetros escolhidos pelo grupo de teatro Artpalco, com sede na cidade de Araguaína – Tocantins, para desenvolver o projeto do seu espetáculo teatral “Bullying: Que Bicho é Esse?” em escolas públicas das regiões Norte e Centro-Oeste do País.

A peça entra em turnê nacional a partir de quarta-feira, 08, com apresentação na Escola da Obra Kolping, em Marabá (PA).  Na sequência, o  grupo  segue para  Manaus (AM), Rio Branco (AC), Porto Velho (RO), Barra do Garças (MT) e Palmas (TO). A  apresentará  em  escolas públicas de Araguaína acontecerá no encerramento da turnê, no final do mês de setembro e início  de outubro.

A peça infantojuvenil é voltada para estudantes do 6º ao 9º ano, com idade entre 10 e 17 anos, com o objetivo de utilizar o teatro para prevenir o bullying em meio aos estudantes.  A sinopse do espetáculo trata sobre um grupo de estudantes adolescentes, que se junta para fazer um trabalho da escola onde devem abordar através de uma peça teatral o tema bullying. No processo de criação, eles percebem que comportamentos inerentes a esse drama são comuns entre eles no dia a dia escolar.

De acordo com o diretor e dramaturgo do espetáculo, Luiz Navarro, “Bullying: Que Bicho é Esse?” trata também da importância de respeitar as diferenças. “A criança ou adolescente que assiste à produção é levada a se colocar na posição de quem sofre bullying e/ou o pratica, instigando a uma reflexão contra a opressão social”, declara o diretor.

Proponente do projeto, a atriz Tatiane Breve explica que a faixa etária escolhida (10 a 15 anos) foi selecionada mediante uma avaliação da própria comunidade escolar, que considera a pré-adolescência e adolescência com os principais índices de bullying. “É um período de desenvolvimento complexo, que naturalmente possui dificuldades comportamentais, pois a adolescência envolve diversas mudanças nos aspectos físicos, emocionais e sociais. Então, é urgente conscientizá-los contra essa prática agressiva”, declara a atriz e proponente do projeto.

Estrutura

O coordenador do grupo Artpalco, o ator George Henrique Silva, complementa ainda que o espetáculo destaca a importância do desenvolvimento de estratégias que auxiliem na redução e prevenção deste tipo de violência em meio aos estudantes, por meio da apresentação em seu próprio ambiente escolar para que promovam o bom convívio social com os companheiros de turma e docentes.

As apresentações são realizadas em locais sem a necessidade de grandes estruturas de palco, som e/ou iluminação, como pátios, quadras de esportes ou auditórios. “É assunto muito pertinente aos dias atuais e temos como missão facilitar o acesso de todos os estudantes a essa necessidade de conscientização.

E sabemos que muitas escolas, principalmente as unidades públicas e/ou em maior situação de vulnerabilidade, não têm acesso ao teatro. Então, estruturamos todas as cenas para que sejam facilmente apresentadas em qualquer ambiente escolar”, conclui George Henrique.

imagem/divulgação

Projeto      

A montagem e circulação do espetáculo “Bullying: Que Bicho é Esse?” é fruto do projeto “Vai Ter Teatro na Escola”, executado por meio a Lei de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cidadania. O projeto estava previsto para acontecer no início do ano de 2020, no mês de abril, porém, com a propagação da pandemia foi suspensa e remarcada para setembro, cumprindo todos os protocolos de segurança.

Artpalco

O Grupo Artpalco foi fundado no ano de 2001, na cidade de Uberlândia (MG). Em 2013, transferiu sua sede para Araguaína (TO), onde desenvolve atualmente suas atividades de cunho artístico, educativo e social. O grupo já tem mais de dez projetos aprovados na Lei de Incentivo à Cultura do governo federal (antiga Lei Rouanet), além de desenvolver projetos empresariais.

Diversas produções do grupo já garantiram pelo Brasil afora recordes de público e bilheteria. Hoje o currículo do grupo conta com mais de 15 montagens, entre elas grandes sucessos como, “Adolescência”, “Apocalipse – Entre o bem e o mal”, “A Poção do Amor”, “Salada Insana”, “Divas Insanas”, “A namorada dos três porquinhos”, “Geringonça”, ” E se a gente se conhecesse outra vez?”, “O rei do lixo”, “Outra história de Francisco”, “As Malditas” e o mega sucesso de público “Casos Insanos”, que já levou, mais de 70 mil espectadores ao teatro.

Por Cinthia Abreu/com adpatações

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: