Foto: Marcos Sandes/Ascom

Há 10 anos treinando pesado no jiu-jitsu, Natan Andrade de 25 anos acumula resultados de dar orgulho para a cidade de Araguaína. O competidor tem o sonho de colocar o município nos registros do campeonato mundial em 2023, na Califórnia.

“Estou me preparando, tenho certeza que esse resultado vem”, comentou o atleta.

A medalha de ouro no sul-americano, recém conquistada em Balneário Camboriú (SC) e inédita para o Estado do Tocantins, é motivo de felicidade e estímulo para o campeão, que também comemora seis vitórias consecutivas nos últimos campeonatos em que participou.

“As últimas competições em que lutei, trouxe medalhas de ouro e minhas conquistas são fruto de muita dedicação e constância: faço 1% nos dias bons e nos ruins também”.

Uma curiosidade de Natan é que quando perguntado sobre a quantidade de competições as quais foi campeão, ele não tem números exatos.

“Vixe..tiveram anos em que lutei 50 vezes, então é muito difícil quantificar. Mas das 50 mais importantes, acumulo resultados felizes”, comentou.

Natan, Araguaína e o jiu-jitsu 

O jovem é filho da Dona Dionora Andrade, e tem mais seis irmãos, ele relata que cresceu no centro da cidade e que, por volta dos 15 anos, se interessou pela arte marcial porque uma turma de amigos vizinhos faziam aulas.

“Resolvi ir ver como eram os treinos e na primeira competição na academia perdi para toda a molecada, mas não desisti e fui o único da turma que permaneci praticando, contrariando todos os comentários”.

Hoje além de lutar ele também ensina a arte suave. “Sou professor de crianças, adolescentes e adultos e, apesar de todas as minhas vitórias, o que me move diariamente é poder ensinar a filosofia desse esporte, aprender com meus alunos e vê-los campeões, seja de competições oficiais ou de superação no dia a dia”, revelou.

Com informações da Ascom Araguaína – Cárita Bezerra

DEIXE O SEU COMENTÁRIO