Carlesse solicita permissão da Anvisa para importar 1 milhão de doses da vacina Sputnik V

Governo espera concluir compra de vacinas até julho. Sputnik V é a vacina fabricada na Rússia, que atingiu 91,6% de eficácia contra a Covid-19, além de um perfil de segurança satisfatório conforme estudo publicado no The Lancet.

O ofício solicitando a o aval para realizar a compra de 1 milhão de doses da vacina russa foi assinada pelo governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, nesta quarta-feira, 14.

No documento, o governador Mauro Carlesse explica que após a liberação da Anvisa, a compra do imunizante se dará em quatro etapas, sendo 250 mil doses ainda no mês de abril, mais 250 mil em maio, mais 250 mil em junho, e por fim, 250 mil em julho, perfazendo o total de 1 milhão de doses.

“Estamos dando mais um passo importante na compra das vacinas Sputnik. Espero que a Agência dê essa autorização o mais rápido possível, para que o Estado do Tocantins venha a importar as vacinas e colocar à disposição da população. Se Deus quiser, em breve estaremos com as vacinas para imunizar o nosso povo”, assegurou o Governador.

Ainda segundo o Chefe do Poder Executivo, a compra de vacinas por parte do Governo do Tocantins servirá para complementar o Plano Nacional de Imunização (PNI) contra à Covid-19, liderado pelo Ministério da Saúde, ampliando o número de pessoas imunizadas no Estado.

“Quanto mais rápido avançarmos nessa questão da vacinação, mais rápido poderemos vencer essa pandemia, baixar o índice de contaminação e retornar à normalidade, impulsionando o crescimento do nosso Estado”, finalizou.

Sobre a Sputnik

A vacina Sputnik V é desenvolvida pelo Centro Gamaleya, na Rússia, e utiliza tecnologia viral. No início de fevereiro, a revista científica The Lancet publicou os resultados de um estudo concluindo que a vacina eficácia de 91,6% para evitar casos sintomáticos de covid-19. Os efeitos colaterais, conforme os pesquisadores, incluíram sintomas semelhantes aos da gripe, além de dor no local da injeção.

Ela foi alvo de críticas pois começou a ser usada no país antes mesmo de o resultado da última fase de testes ser publicado. Mas com o resultado positivo o imunizante já foi aprovado para uso emergencial em vários países, além da própria Rússia, como Argentina, Venezuela e Hungria.

 

Comentários do facebook

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: