Documentário registra história do teatro produzido em Palmas

O documentário “Catarse” traz depoimentos e narrativas desde os primeiros grupos e companhias de teatro da Capital tocantinense.

Neste sábado, 27, é comemorado o Dia Mundial do Teatro e no domingo passado, 21, foi o Dia Universal do Teatro. Para celebrar as datas, artistas do palco e da cena comemoraram a produção da Fábrica Produções e do Grupo Um Ponto Dois de Teatro que registram a história das três primeiras décadas do teatro produzido em Palmas no documentário “Catarse”.

Nos depoimentos, atores, atrizes, diretores, dramaturgos e técnicos das artes cênicas de Palmas contam um pouco de sua trajetória e das produções, grupos e bastidores da cena.

O longa-metragem trará narrativas desde os primeiros grupos, companhias e coletivos que proporcionaram ao público de Palmas momentos de encontro com a arte teatral. Neste contexto, serão resgatadas histórias de grupos e Companhias pioneiras como a Chama Viva, Teatro Livre de Palmas e A Barraca Cia de Artes, até os mais recentes como o Grupo Um Ponto Dois de Teatro, Cenaberta, Agulha Cenas, Circo Os Kaco, Lamira e outros.

O projeto realizou levantamento de dados sobre o teatro produzido de 1989 a 2019 na Capital e através de entrevistas ao longo deste semestre, que seguem os protocolos de segurança contra a covid-19.

Entre os artistas já entrevistados estão os atores e diretores: Cícero Belém, Nival Correia, Pietro Lamonier, as atrizes Bell Gama, Cleuda Milhomem, Marcélia Belém, Sabrina Fittipaldi, além de profissionais das diversas áreas que compõem o teatro como o iluminador Lúcio de Miranda, o cenógrafo Renato Moura e a figurinista Vivian de Oliveira entre outros. Até o fim do projeto, cerca de 38 personalidades da cena serão entrevistadas.

Para Kaká Nogueira, presidente da Federação Tocantinense de Artes Cênicas – FETAC e um dos entrevistados do projeto, o documentário vem desempenhando um papel fundamental para história da Capital e da arte teatral produzida na região Norte do Brasil.

 “Em meio a tantos acontecimentos dos últimos anos, o registro deste material é uma maneira justa de reconhecimento aos artistas que construíram a cena teatral local, mostrando a qualidade técnica nos produtos artísticos produzidos pelos talentos da nossa região. ”

Um dos produtores e diretores do projeto, o encenador Justino Vettore (Grupo Um Ponto Dois), explica que a princípio o projeto seria de um curta metragem, mas que logo que iniciaram a pesquisa optaram por alongar o registro. “São muitas as histórias dos artistas, técnicos e produtores da cena palmense e queremos dar voz para estas histórias e eternizá-las, a população e a nova geração de artistas precisa conhecer e reconhecer este legado”, finaliza Justino.

O proponente do projeto, Pablo Pereira, da Fábrica Produções, divide a direção com Justino, e complementa que a produção é um marco para o teatro da Capital, uma vez que se trata da primeira documentação ampla sobre a temática. “Estamos diante de tanta preciosidade, são histórias de artistas pioneiros que contribuíram e contribuem para a primeira geração do teatro em Palmas. Tenho certeza que temos em nossas mãos um importante capítulo dessa história e estamos ansiosos para dividi-la com todos. ”

O projeto foi contemplado pelo Prêmio Palmas Aldir Blanc, promovido pela Fundação Cultural de Palmas, Prefeitura Municipal de Palmas, com apoio do Governo Federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial de Cultura e Fundo Nacional de Cultura.

Fábrica Produções

A Fábrica Produções foi fundada em 2007 e, desde sua fundação, tem sido produtora de curta metragens, peças publicitárias e mais de 40 documentários institucionais, publicitários e de capacitação. Nos últimos anos tem se destacado com colaborações e produções de curta metragens infanto e infanto-juvenis, entre eles: João e Maria “ Uma aventura no cerrado – O filme” e Circo Social “Os Kaco” – Documentário premiados pelo edital de incentivo à cultura Procine Palmas/FCP/FSA 2015, através da Fundação Cultural de Palmas, com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), da Ancine e do Fundo Municipal de Apoio à Cultura.  Realizou ainda o curta “Menina Bonita de Tranças” – vencedor do Prêmio Festival Você na Tela 2018 e do prêmio de melhor trailer no concurso interativo 46°Festival de Gramado, sendo também selecionado dentro e fora do Brasil: 9° Festival Cine Estudantil do Uruguay (Fenacies), 19° Mostra de cinema infantil de Florianópolis, 13° Festival CHICO de cinema e vídeo do Tocantins e do Trakinagem- Mostra de Cinema e Educação de Belo Horizonte.

Grupo Um Ponto Dois de Teatro

Fundada em 2012 dentro de uma escola pública de Palmas-TO, o grupo mantém durante todo este tempo a essência de um espaço de experimentação teatral, fortemente ligada às manifestações de caráter popular, enaltecendo a literatura nacional, lendas, mitos e histórias da região norte do Brasil e tem como missão a produção, a pesquisa e o registro do teatro regional. Para tanto utilizam diversos elementos do teatro, entre eles os do teatro de animação, reforçando o estímulo a contação de histórias de geração em geração. Em 2016, o grupo foi reconhecido por suas atividades sócio culturais e mapeado como Ponto de Cultura pelo Ministério da Cultura.    O mais recente espetáculo do grupo é As Histórias que Vou te Contar, último espetáculo apresentado no Sesc antes que as portas do teatro se fechassem por conta da pandemia, em março do ano passado.

Por Cinthia Abreu (com adapatações)

Comentários do facebook

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: