Estudante tocantinense é finalista da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia

Erica Nascimento da Silva, da Escola Estadual Liberdade, de Palmas, foi destaque na Febrace e, ao longo dos anos, tem participado de diversos projetos e programas educacionais

Erica é uma das finalistas da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), cuja premiação será realizada no sábado, 27, em cerimônia on-line. Com orientação do professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), João Aparecido Bazzoli, parceiro da unidade de ensino, Erica inscreveu o projeto ‘Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS11) e o Direito à Cidade’.

O projeto da estudante propõe ações de acordo com a realidade de Palmas, para a implementação da Agenda 2030, que é um plano de ações desenvolvido no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU). O intuito é propagar os 17 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODS), que possam erradicar a pobreza e promover o desenvolvimento econômico, social e ambiental em escala global até o ano 2030.

“Vendo tudo acontecendo ao meu redor. Vendo que muita coisa poderia ser transformada e que ninguém estava fazendo nada, quando conheci o trabalho de pesquisa do professor João Bazzoli, percebi que essa era uma possibilidade de fazer parte da transformação que eu anseio para minha comunidade. Com um olhar voltado para a realidade local, estamos propondo ações que condizem com o que vivenciamos e que podem gerar muitas mudanças”, ressaltou.

Érica se envolveu com o projeto ainda em 2019, quando se tornou aluna bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Atualmente é aluna de extensão do projeto. “Com essa pesquisa já tive a oportunidade de participar de vários eventos presenciais e, depois (do início) da pandemia, on-line. O que eu quero é despertar nas pessoas o desejo de transformar desafios e que elas se sintam capazes, mesmo com todas as dificuldades”,  pontuou.

A coordenadora pedagógica da Escola Estadual Liberdade, Regina Célia Gomes Botelho, destacou o papel de liderança desempenhado por Erica e sua dedicação como estudante. “A Érica sempre foi muito participativa nas atividades realizadas na unidade de ensino e na comunidade, ela sempre usou os espaços de fala para motivar e mobilizar seus colegas. Na sala de aula, era uma aluna extremamente dedicada e que tem um grande futuro pela frente”.

Um pouco sobre Erica

Filha da trabalhadora doméstica, Márcia Aparecida Nascimento, que cursou até a 3ª série do ensino médio, e do auxiliar de serviços gerais, Bonfin Carvalho da Silva, que estudou até o 1º ano do ensino fundamental, Erica, incentivada pelos pais, enxergou na educação um caminho para realizar seus sonhos. Em 2019 foi uma das semifinalistas do programa Jovens Embaixadores, e em 2020 participou de uma imersão cultural proporcionada pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, o English Immersion Program.

Em 2020 também participou de um bootcamp (treinamento imersivo) na Latin American Leadership Academy (Lala) [Academia Latino Americana de Lideranças – em livre tradução], cuja missão é “promover o desenvolvimento econômico sustentável e fortalecer a governança democrática na América Latina, desenvolvendo e conectando uma nova geração de líderes de princípios e socialmente inovadores”. A partir dessa participação fortaleceu a rede de apoio emocional que criou na unidade de ensino.

“Junto com a coordenação da Escola, por meio do Grêmio Estudantil, buscamos fortalecer as atividades de autoconhecimento, educação sociemocinal, protagonismo e agora compartilho dicas por meio do @lalaclub.progridelib. Após participar do bootcamps da Lala,  transformei a iniciativa em um Clube de Liderança da Academia da América Latina e pretendo continuar trabalhando em parceria com a escola. Trabalha ainda com projetos ligados ao meio ambiente e à igualdade de gênero”.

Erica, a partir das suas experiências, desenvolveu a capacidade de ter um olhar solidário com o seu próximo. Após enfrentar um problema de saúde, em 2017, reconheceu na saúde mental uma demanda real de atenção e cuidado, em toda a sociedade. “Sempre pensei em estudar fora do Brasil. Tive essa oportunidade, por meio de uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos, mas eu decidi ficar aqui no Tocantins e cursar Psicologia. Acredito que assim poderei ajudar mais a minha comunidade”, pontuou.

Febrace

divulgação

A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista, promovida e organizada pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis. “Estou super feliz em participar e em ter chegado na final, já aproveito para pedir a votação de todo mundo no Prêmio Votação Popular na Febrace 2021”, comemorou a estudante. Para conhecer o projeto de Erica, basta acessar: febrace.org.br/virtual/2021/SOC/310/.

Fonte: Governo do Tocantins

Comentários do facebook

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: