Mensageiros da Cruz: Uma forma diferente de falar do amor de Deus

Convido-te a conhecer a história de 4 jovens que antes eram julgados pela sociedade pelos seus atos, 3 deles viveram no mundo do crime, das drogas, o outro é um artista desde criança, vivia em cima dos palcos, tocando e cantando na noite gurupiense, realidades que decidiram deixar para trás, para ajudarem a si mesmo e a outros jovens por meio de seus próprios testemunhos. Hoje, eles usam o rap para sensibilizarem outros jovens a se libertarem das drogas e da criminalidade. Conheça o Grupo Mensageiros da Cruz, de Gurupi, Sul do Tocantins.

Mensageiros da Cruz

Em agosto deste ano um clipe chamou atenção nas redes sociais. Cenas marcantes de uma mãe chorando por um filho que teria sido assassinado. Cenas também dos integrantes do grupo no cemitério da cidade que fizeram muitos refletirem a dura realidade daqueles que escolheram o mundo da criminalidade. Na realidade, o clipe retrata histórias vividas por alguns dos integrantes do Mensageiros da Cruz.

4 jovens, vidas distintas, alguns com histórias parecidas, sonhos lá atrás perdidos, crimes, drogas, álcool, cenários que ficaram marcados para eles e famílias, amigos perdidos, mães chorando, lágrimas que cortaram o coração e motivaram uma busca por mudança, até que um dia, os caminhos deles se cruzaram e surgiu o Grupo que vem evangelizando nas ruas de Gurupi.

Erick Luan, Jailson Andrade, Mayk Jhones e Fabricio Aldeyr Imagem: Arquivo Pessoal

Quem são os jovens do grupo

Erick Luan dos Santos Rocha, 25 anos, fundador do Grupo.

Imagem: Arquivo Pessoal

Erick conta que perdeu um irmão por conta da criminalidade, das drogas, e ao ver sua mãe chorando pela morte precoce do irmão, decidiu que precisava mudar de vida. “Vivíamos tanta coisa errada, no crime, nas drogas, prejudicamos famílias com a nossa vida e hoje queremos transformar estas vidas com as coisas que Deus nos deu. Eu perdi um irmão no crime, assassinado, e eu vi o choro da minha mãe e partiu meu coração, ao ver minha mãe chorando por ele, aquela cena me impulsionou a mudar de vida e não desistir do chamado de Deus pra mim”.

Erick diz que decidiu buscar transformação em uma igreja evangélica, ele queria viver uma vida espiritual e foi lá que tudo começou e o grupo Mensageiros da Cruz viria a surgir. “O que me motivou foi o choro de uma mãe, isso é o que mais me incentiva a levar a palavra de Deus para os filhos delas, para que por meio do nosso trabalho a tristeza  se converta e o choro se transforme em alegria assim como as nossas mães receberam esta graça”.

Fabricio Aldeyr Carneiro, 25 anos, fundador do Grupo

Imagem: Reprodução

Fabrício nem imaginava chegar aos 25 anos, viu muitos amigos perderem a vida muito cedo. Mas um dia um convite, foi o pontapé para que sua história tomasse novo rumo. “É comum as pessoas julgarem as outras falando que, depois que roubou, vendeu droga, fez coisa errada agora quer virar crente, não, é esta a oportunidade que Jesus dá pra transformar a vida, muitos são oprimidos, largados, desprezados e Jesus vai lá e resgata. Nunca deixe de acreditar na transformação de uma pessoa, pois Jesus transforma, muda a história e coloca na sociedade de novo. Jesus mudou a minha história, me resgatou por meio de um convite pra ir ao culto, fui curado, estou casado, tenho um bom relacionamento com a minha mãe, estou bem empregado em um lugar de honra, achei que não ia chegar aos 20 anos devido a vida que eu levava e hoje eu tenho a minha vida transformada”.

Mayk Jhones Falcão Mendes,  26 anos

Imagem: Arquivo Pessoal

Esteve frente a frente com a morte algumas vezes e foram as lágrimas de sua mãe que partiram o seu coração, fato este aliado ao apoio da sua namorada na época, hoje, esposa que o fizeram a mudar de vida e buscar um caminho espiritual.

“Tive um atrito com outro jovem e ambos puxamos armas ameaçando, um ao outro, e no outro dia eu estava desarmado e ele me pegou desprevenido, apontou a arma e colocou na minha cabeça, no momento da raiva eu falava atira, atira, e naquele dia eu vi a mão de Deus, o rapaz olhou nos meus olhos e não atirou. Isso aconteceu em 2014 na praia do peixe, este dia mudou a minha vida.  Quando eu cheguei da praia eu encontrei minha mãe dentro de casa, chorando ajoelhada ao lado da minha cama, eu cheguei bêbado e drogado, ela havia encontrado drogas no meu quarto e isso me cortou o coração,  ao ver aquela cena da minha mãe todo o efeito saiu do meu corpo, passei a noite chorando e no outro dia eu chamei minha mãe e disse que ela ainda teria muito orgulho de mim que eu iria mudar.  Nesta época eu estava namorando e o tempo passou, Deus entrou em nossas vidas e ela me ajudou muito a mudar, casamos, larguei todos os vícios e hoje ajudo outras pessoas a sair de uma vida ruim e viver o amor de Deus”.

Jailson Andrade de Oliveira, 30 anos

Imagem: Arquivo Pessoal

È o único do Grupo que não teve envolvimento com o mundo do crime e das drogas. Ele é músico e passou boa parte da vida em cima dos palcos, trios elétricos, cantando, tocando, mas segundo ele não era essa vida que queria viver.

“A minha vida era de shows, festas, meu mundo era a noite de glamour, mas Deus colocou no meu coração pra ajudar pessoas que vivem na vida do crime. O lugar que eu estava era de bebedice, drogas, eu não usava, mas via muita gente usando e hoje a minha felicidade é em pregar a palavra e ver as pessoas aceitando Jesus. Continuo nos palcos, mas agora é um palco diferente onde eu levo a palavra de Deus. Muitas vezes as pessoas tem uma barreira de não ajudar o próximo eu sempre quis ajudar a mudar a vida de outras pessoas.  Tudo se resume em amor, amor ao próximo, amor as vidas você não precisa ter uma vida errada pra enxergar que as pessoas precisam ser resgatadas”.

O grupo

O Mensageiros da Cruz iniciou em 2015 por Eric Luan dos Santos Rocha e Fabrício Aldeyr Carneiro, ambos com 25 anos hoje. O nome veio de um grupo de jovens que tinha na igreja, Fabrício conta que muitos jovens na época foram deixando as reuniões e eles permaneceram.

Um dia decidiram que iriam para uma chácara passar 3 dias de oração, louvor e jejum. “Passamos três dias lá na presença do Senhor orando e então resolvemos cantar um rap que era a música que ouvíamos e que tínhamos conhecimento, ouvíamos rap do mundo e quando entramos na igreja buscamos rap  voltado para o evangelho e pensamos por que não usar a palavra de Deus por meio do Rap”, lembrou Fabrício.

Ele contou que durante o tempo de oração seus corações foram se abrindo e resolveram criar uma música baseada nos hinos da harpa, foi gravada no celular e depois retratada em clipe – que recebeu o nome de “conversão”, este foi o primeiro trabalho do Mensageiros da Cruz.

A partir daí foram gravadas outras músicas e clipes, pregando a palavra do Senhor por meio do rap e em 2017

eles se reuniram para gravar o rap “misericórdia de Deus”, foi onde entrou a participação de Mayk Jhones Falcão Mendes de 26 anos e Jailson Andrade de Oliveira, 30 anos, e aí surgiu o ministério.

“Sabemos que a nossa música vai chegar aos inalcançáveis, dentro da boca de fumo, dos presídios, recebemos o retorno de pessoas que estavam presas e que ouviram a nossa música” destacou Fabrício.

“Nós nos sentimos privilegiados pois nós vivíamos a margem da sociedade, nós éramos apontados na rua pelas nossas escolhas erradas e hoje nós temos Deus em nosso coração, mudamos de vida e estamos ajudando outros a sair dessa vida, graças ao amor de Deus. Nosso objetivo é alguém que vive no crime, que é bandido, é viciado escutar o nosso trabalho e o resto é com Deus pois ele transforma, muda e salva vidas” comentou Erick Luan.

Jailson Andrade entrou no Grupo para gravar o refrão de uma música e acabou permanecendo “por entender que a palavra de Deus é a saída para aqueles que estão perdidos”.

“O mensageiros da Cruz não é um grupo montado pra ficar dentro da igreja, pra ficar nos altares físicos das igrejas, ele foi montado pra levar a palavra a quem precisa, principalmente os excluídos. O rap fala a realidade, não maquiamos a realidade, nós falamos a verdade por meio do nosso testemunho e pregamos que Jesus é o caminho a verdade e a vida. E por meio da nossa música é possível se identificar com esta realidade e aí produz frutos”.

Mayk Jhones conta que recebeu o convite para participar do Mensageiros e abraçou  essa oportunidade para seguir o caminho de Cristo, “ a minha vida mudou muito, e hoje fazemos um trabalho pra ajudar outras famílias a ter esperança, assim como a minha vida foi restaurada e a minha família abençoada, quero poder ajudar outras pessoas e o mensageiros me proporciona essa oportunidade”.

Filme Triste/ Clipe

Imagem: Arquivo Pessoal

O último clipe de trabalho foi lançado no final de Agosto deste ano, “Filme Triste”, o clipe conta histórias reais que eles viveram ou viram de perto, como os amigos perdidos pelo crime, as mães infartando após receberem notícias ruins dos filhos, o irmão assassinado, cenas fortes e marcantes pra despertar a atenção dos jovens para buscar um novo caminho.

O clipe mostra cenas de assassinato e imagens gravadas no cemitério da cidade, cenas de uma mãe chorando, e amigos lamentam por perderem pessoas queridas, um clipe que segundo o grupo busca salvar por meio do exemplo e mostrar que Deus é a solução para todos os problemas.

Assista o clipe: Filme triste

“As cenas no cemitério é pra mostrar realmente o final da vida das pessoas que vivem no crime, no mundo das drogas, este é o final da vida, o cemitério. E nós escolhemos o local onde mais tem jovens sepultados que foram assassinados perdendo a vida para o crime, não escolhemos um local qualquer, lá é onde realmente tem jovens conhecidos que perderam precocemente a vida por causa do crime. Mas é possível que outros jovens mudem essa realidade por meio de Jesus”, afirma Jailson.

Imagem: Reprodução

A música foi escrita em 2017 por Erick Luan. A inspiração para a música foi uma ligação do Mayk Jhones contando sobre o assassinato de um amigo, e então resolveram contar a história, a música foi gravada há alguns anos mas só virou clipe este ano.

Preconceito com o estilo musical

Fabrício conta que ainda existe preconceito com o rap, que muitas pessoas ouvem a batida e julgam pelo estilo: “as pessoas as vezes não param pra ouvir a mensagem, o que está sendo ministrado.  A bíblia diz que Deus usa as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias e Deus tem nos usado como instrumento, como loucos, somos chamados de loucos por alguns, mas nós sabemos do nosso ministério com Cristo Jesus e quem queremos alcançar por meio do rap”, concluiu.

Mídias Sociais

O trabalho destes jovens pode ser visto no canal do Youtube:

Reflexão

Enquanto há vida há esperança e enquanto há esperança, há uma chance de um final feliz, e nós acreditamos nisso, fazemos trabalhos sociais, ajudamos o próximo e temos certeza que Deus muda a vida das pessoas”. Erick Luan.

“O amor de Deus rompe barreiras independente de você está com a cara de mal, basta chegar e dizer Jesus te ama e isso transforma, se você chegar pra uma pessoa que tem a aparência de malandro e falar pra ela eu posso te falar sobre o amor de Deus? Ela vai te receber, pois a palavra de Deus penetra no coração do homem, eu peço que as pessoas não julguem, pois há chances pra todos mudarem a história, mudar de vida”. Fabricio Aldeyr.

“Recado para as mães, elas são as que mais sofrem, que sentem na pele e no coração a dor e o sofrimento que os filhos provocam. Queremos que as mães sintam o nosso abraço o nosso carinho, tem uma tia de  um amigo nosso que teve o filho assassinado com 5 tiros e ela chegou pra mim um dia falando que sente muita falta, mas sente o conforto olhando pra nós que vivíamos juntos com ele e conseguimos ser transformados”. Mayk Jhones.

“Tem muitas pessoas que estão esperando só você falar, Jesus te ama, ela só precisa disso pra mudar a sua vida. Muita gente acredita que se você chegar em uma boca de fumo você vai ser assaltado, maltratado e é completamente diferente, quando você chega eles se calam pra receber a palavra, pra ouvir o amor de Deus, é o amor que salva”. Jailson Andrade.

Comentários do facebook

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: